MINHA OPINIÃO E INDIGNAÇÃO, SOBRE O PROJETO QUE IMPORTA MÉDICOS CUBANOS E OUTROS, SEM A REVALIDAÇÃO DO DIPLOMA.

COLEGAS,

VAMOS NOS MOBILIZAR

VAMOS PARTICIPAR

NÃO VAMOS ACEITAR DEITADOS EM BERÇO ESPLÊNDIDO

NÓS VAMOS RECEBER AS COMPLICAÇÕES, NOS HOSPITAIS TERCIÁRIOS,

E SEREMOS MAIS E MAIS PROCESADOS POR ERROS MÉDICOS ( DOS OUTROS )

COBRE DO POLÍTICO QUE VC VOTOU

MANDE ESE EMAIL PARA ELE, MOSTRE QUE VOCÊ TÁ DE OLHO NA CONDUTA DELE.

NÃO SOMOS CONTRA A VINDA DE COLEGAS FORMADOS FORA

SOMOS CONTRA A NÃO REVALIDAÇÃO.

MÉDICO SEM REVALIDAR O DIPLOMA; NÃO É MÉDICO!!!!!!

MÉDICO BEM FORMADO PASSA NO REVALIDA !!!!!

NÃO A IMPORTAÇÃO DE MÉDICOS SEM REVALIDAÇÃO DO DIPLOMA

NÃO A MEIOS – MÉDICOS

NÃO A MÉDICOS DE SEGUNDA, PARA MATUTOS E POBRES

A presidenta Dilma Roussef, no dia 03 de agosto deste, declarou em solenidade oficial, que o governo quer formar mais 4,5 mil médicos a cada ano e interiorizar a profissão no País. Disse que “uma das dificuldades para melhorar a saúde publica no Brasil é o insuficiente numero de médicos e sua má distribuição sobre o território nacional”. Alguns pontos básicos de seu discurso valem a pena ser discutidos. O primeiro ponto: o nosso país tem numero insuficiente de médicos? Não. Existem hoje no Brasil cerca de 350.000 médicos ( 1 médico para cada 543 habitantes). Numero até por demais, suficiente, ou melhor, exceden te segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS) que aconselha 1(um) profissional da medicina para cada 1000 (mil) habitantes. E atualmente o Brasil é vice-campeão mundial em número de faculdades de Medicina. O problema não é, portanto carência de médicos, e sim, nisso concordamos com a Senhora Presidenta:

“a má distribuição dos profissionais da medicina em território brasileiro”

Faltam estruturas de saúde, políticas de valorização da saúde do povo, projetos de carreia federal para os médicos (à semelhança de juízes e promotores), além de investimentos fortes em saúde pública a nível federal/estadual e municipal, o médico não quer ir para o interior porque será capacho do prefeito, terá, para ter longa permanência na cidade, deverá se dobrar aos imbróglios da politicagem, submeter-se aos desejos muitas vezes escusos das AUTORIDADES locais.

Uma alternativa, seria incentivá-los a morar no interior. A este respeito já tramita no Legislativo, há quase dois anos, Projeto de Emenda à Constituição (PEC) para tornar a profissão de médico uma carreira de estado assim como acontece no Ministério Publico e na Magistratura. Isto sem dúvida é um grande estímulo para os profissionais se fixarem até em municípios carentes de assistência médica. PORTANTO, A SOLUÇÃO NÃO É FORMAR MAIS MEDICOS, NEM CONTRATAR MEIOS-MÉDICOS CUBANOS ou médicos formados fora sem revalidação do diploma. É dar condições dignas.

Por que não faltam juízes, promotores? Porque o emprego é por concurso público e a remuneração é digna.
Nosso curso de MEDICINA é em tempo integral por seis anos, mais três ou quatro ou cinco anos de residência médica, com no mínimo 60 horas por semana, neste período de tempo dar para se cursar ate quatro ou mais cursos superiores.

NÃO QUEREMOS SER MAIS, MAS TAMBÉM NÃO QUEREMOS SER MENOS.

QUEREMOS UMA CARREIRA DE ESTADO E REMUNERAÇÃO IGUAL AOS DO JUDICIÁRIO. CONCURSO PARA MÉDICO DE CARREIRA COM REMUNERAÇÃO IGUAL À JUIZES E PROMOTORES. BASTA ISTO E NÃO FALTARÁ MÉDICOS, nem no Chui nem no Oiapoque.

Dr. Fernando Aguiar
Ex. Presidente da SOCEGO

Itarget Tecnologia