Antibióticoprofilaxia

COMITÊ ESTADUAL DE NORMATIZAÇÃO DO USO RACIONAL DE ANTIMICROBIANOS GRUPO DE ANTIBIOTICOPROFILAXIA CIRÚRGICA


CIRURGIA TOCOGINECOLÓGICA
1) Cesariana
Indicação:
* Rotura de membrana mais de 6h antes da cirurgia.
* Trabalho de parto prolongado – iniciado há mais de 12h com apagamento do colo e dilatação maior que 4cm.
* Nas exceções gerais – diabetes, desvios importantes da nutrição, doênça ou tratamento com imuno-supressão.
* Emergências
* Colonização da Ectocérvice por Streptococcus agalactiae.
* Toques vaginais acima de 6.
* Necessidade de monitorização fetal interna.
Desnecessária:
* Nos casos onde os ítens acima forem seguramente excluídos
Agentes:
* Escherichia coli
* Enterococcus
* Proteus
* Gardnerella
* S.aureus
* Streptococcus agalactiae -subgrupo B
* Bacteróides fragilis
Antibiótico:
Cefazolina – 1g dose única, na indução anestésica. 2g para paciente com peso superior a 70kg.
OBS: Mantemos o esquema clássico de dose pré-operatória pois não há evidência que a Cefalosporina afete o concepto.É usual administrar Antibiótico logo após o clampeamento do cordão. Consideramos que isto contraria os princípios de Burke.
Alternativas:
1) Cefalotina – 1g na indução anestésica e doses adicionais de 1g a cada 2h durante o ato cirúrgico, na ausência da Cefazolina.
2) Vancomicina – 1g ou 15mg/kg, durante os 60 min que precedem a cirurgia, como alternativa para os pacientes alérgicos aos betalactâmicos, nas indicações da Cefazolina.

2) Histerectomia Abdominal com ou sem Anexectomia

Indicação:
* Prolongamento previsível da cirurgia acima de 3h.
* Curugia e/ou procedimentos prévios, até 7 dias, sobre o colo e cavidade uterinos.
* Associação cirúrgica – Colpoperineoplastia, Apendicctomia, etc.
* Optamos por não usar antibiótico profilático de rotina face aos baixos índices de infecção hospitalar desta cirurgia (aprox. 10%).
Agentes:
* Escherichia coli
* Enterococcus
* Streptococcus agalactiae – Grupo B
* Anaeróbios – incluindo Bacteroides fragilis
Antibióticos:
Cefazolina – 1g dose única, na indução anestésica. 2g para paciente com peso superior a 70kg.
Alternativas:
1) Cefalotina – 1g na indução anestésica e doses adcionais de 1g a cada 2h durante o ato cirúrgico, na ausência da Cefazolina.
2) Vancomicina – 1g ou 15 mg/kg, durante os 60 min que precedem a cirurgia, como alternativa para os pacientes alérgicos aos betalactâmicos, nas indicações da Cefazolina.

3) Histerectomia Vaginal
Indicação:
* Sempre, face ao maior risco de infecção hospitalar.
Agentes:
* Os mesmos supra-citados
Antibióticos:
Cefazolina – 1g dose única, na indução anestésica. 2g para paciente com peso superior a 70kg.
Alternativas:
1) Cefalotina – 1g na indução anestésica e doses adicionais de 1g a cada 2h durante o ato cirúrgico, na ausência da Cefazolina.
2) Vancomicina – 1g ou 15 mg/kg, durante os 60 min que precedem a cirurgia, como alternativa para os pacientes alérgicos aos betalactâmicos, nas indicações da Cefazolina.
OBS: Há controvérsias da indicação do uso profilático em qualquer Histerectomia e do uso de droga com ação aerobicida e anaerobicida. Não parece haver diferença estatística significativa entre o uso da Cefazolina e da Cefoxitina, sendo que o custo desta segunda opção é muito superior, além de seu forte poder indutor de produção bacteriana de betalactamase e de sua vida média curta com necessidade de repicagens a cada 2h.

4) Colpoperineoplastia
Indicação:
* Não há
Agentes:
* Os mesmos supra-citados
Antibióticos:
* Não fazer.
A indicação do uso do Antibiótico face a presença de sonda vesical não tem suporte científico. As experiências mostram, inclusive a nossa no H.G.F., que o índice de infecção com ou sem Antibiótico é o mesmo, com o agravante do custo e de uma infecção com germe mais resistente, face a pressão seletiva exercida pelo Antibiótico indevidamente utilizado.

5. OOFORECTOMIA, OOFOROPLASTIA, RECANALIZAÇÃO TUBÁRIA, PRENHEZ ECTÓPICA, LAPARATOMIA DIAGNÓSTICA.
Indicação:
* Não há
Agentes:
* Staphylococcus aureus
Antibióticos:
* Não fazer

6. SALPINGECTOMIAS
Indicação:
* Apenas nos casos de processos supurativos. Por se tratar de uma patologia infecciosa será instituído o antibióticoterapia, considerando as peculiaridades etiopatogênicas de cada caso.
* Quando houver gangrena, supuração ou perfuração da trompa com abscesso bloqueado, sem peritonite difusa por 5 a 10 dias, na dependência da resposta clínica e laboratorial.
Desnecessária:
* Nas salpingectomias para laqueadura tubária e hidrosalpinge.
Agentes:
* Neisseria gonorhoeae
* E.coli
* Streptococcus haemoliticus e não haemoliticus
* Sthaphilococcus coagulase-negativo
* Diphtheroids
* Lactobacillus
* Mycoplasma
* Chlamydiae
Antibiótico:
* Cefazolina – 1g dose única, na indução anestésica. 2g para paciente com peso superior a 70 kg.
* Metronidazol – 1g EV, na indução anestésica e 500mg EV ao final da cirurgia.
Alternativas:
1) Cefalotina – 1g na indução anestésica e doses adcionais de 1g a cada 2h durante o ato cirúrgico, na ausência da Cefazolina.
2) Vancomicina – 1g ou 15 mg/kg, durante os 60 min que precedem a cirurgia, como alternativa para os pacientes alérgicos aos betalactâmicos, nas indicações da Cefazolina.

7 – VULVECTMIAS, FÍSTULAS GINECOLÓGICAS POR QUALQUER VIA DE ACESSO, COLPECTOMIA, PROLAPSO DE CÚPULA VAGINAL, NEOVAGINA.
Indicação:
* Sempre face ao grande descolamento tecidual, abundância da microbiota residente e presença de microbiota do trato urinário e intestinal.
Agentes:
* Staphylococcus aureus
* Enterococcus
* Enterobactérias
* Bactérias anaeróbias
Antibiótico:
* Cefazolina – 1g dose única, na indução anestésica. 2g para paciente com peso superior a 70 kg.
* Metronidazol – 1g EV, na indução anestésica e 500mg EV ao final da cirurgia, exceto nas fístulas vesico-vaginais.
Alternativas:
1) Cefalotina – 1g na indução anestésica e doses adicionais de 1g a cada 2h durante o ato cirúrgico, na ausência da Cefazolina.
2) Vancomicina – 1g ou 15 mg/kg, durante os 60 min que precedem a cirurgia, como alternativa para os pacientes alérgicos aos betalactâmicos, nas indicações da Cefazolina.
OBS: Nas cirurgias de fístulas reto-vaginais, colpectomias e neovagina é necessário o preparo do cólon como nas colectomias.

8 – MASTECTOMIAS
Indicação:
* Mastectomias simples e radicais
Agentes:
* Staphylococcus aureus
Antibiótico:
Cefazolina – 1g dose única, na indução anestésica. 2g para paciente com peso superior a 70 kg.
Alternativas:
1) Cefalotina – 1g na indução anestésica e doses adicionais de 1g a cada 2h durante o ato cirúrgico, na ausência da Cefazolina.
2) Vancomicina – 1g ou 15 mg/kg, durante os 60 min que precedem a cirurgia, como alternativa para os pacientes alérgicos aos betalactâmicos, nas indicações da Cefazolina.
Observações: Não indicamos nas Quadrantectomias, agulhamentos, cirurgias para ginecomastia, biópsias e exérese de nódulo mamário.

Itarget Tecnologia